Startup: O que são os membros do board?

Os membros do board, ou conselho de administração, ou board of directors, são pessoas eleitas ou designados, que conjuntamente supervisionam as atividades de uma empresa.


A Existência de um conselho de Administração é requisito legal para toda e qualquer S/A (Sociedade Anônima ).


Os membros do board possuem poderes, deveres e responsabilidades delegados a eles, através do Estatuto da empresa e da Lei 6.404/1976:


Art. 140. O conselho de administração será composto por, no mínimo, 3 (três) membros, eleitos pela assembleia-geral e por ela destituíveis a qualquer tempo, devendo o estatuto estabelecer:

I - o número de conselheiros, ou o máximo e mínimo permitidos, e o processo de escolha e substituição do presidente do conselho pela assembleia ou pelo próprio conselho;

II - o modo de substituição dos conselheiros;

III - o prazo de gestão, que não poderá ser superior a 3 (três) anos, permitida a reeleição;

IV - as normas sobre convocação, instalação e funcionamento do conselho, que deliberará por maioria de votos, podendo o estatuto estabelecer quórum qualificado para certas deliberações, desde que especifique as matérias.

Parágrafo único. O estatuto poderá prever a participação no conselho de representantes dos empregados, escolhidos pelo voto destes, em eleição direta, organizada pela empresa, em conjunto com as entidades sindicais que os representem.



Toda as principais decisões devem ser levadas ao board para aprovação.


O papel do board é garantir que o CEO e os principais executivos estão desempenhando um bom trabalho.


É fundamental que exista um ambiente saudável para discutir os mais variados pontos de vista, e o presidente do conselho é quem deve garantir que todos sejam ouvidos mas uma decisão seja tomada.

Um board bem construído deve ter profissionais com muita experiência no mercado. Quanto mais feitos cada um dos membros tiver, melhor para sua startup, que contará com a expertise de cada um deles.

Um bom conselho de administração, deve ter bons profissionais em suas áreas, este cenário faz com que ser  brilha os olhos do investidor. Afinal, se você conseguiu mobilizar tanta gente boa para participar de algo que você construiu, alguma coisa boa deve ter.

Normalmente as startups iniciantes tem um conselho de administração só para constar. Apesar de registrarem que existiu uma reunião do board e foram tomadas as seguintes decisões. Na realidade ela nunca aconteceu e só foi criado um documento para registrar as decisões, aprovadas pelos próprios executivos da empresa.

Isso é muito comum e eu recomendo que você fique assim até você ter um tamanho que justifique, mas assim que você começar a ter um volume de receita um pouco maior, sugiro fortemente que você crie um conselho de administração e faça pra valer. Mesmo que você seja o acionista controlador é fundamental criar a rotina de apresentar a outras pessoas brilhantes o que tem acontecido na empresa e as principais decisões para serem tomadas.

Mark Zuckerberg, CEO do Facebook, durante muito tempo foi um jovem inexperiente, mas o tempo foi passando e ele foi se transformando em um brilhante executivo. Grande parte da sua formação deve-se aos conselheiros. Você não gostaria que o mesmo acontecesse com você? Diante de tantas particularidade nota-se que é fundamental para o bom desenvolvimento do negócio uma assessoria jurídica especializada, uma atuação preventiva é sempre mais eficaz e menos onerosa para a empresa.


Nosso escritório tem como principal objetivo, entender a visão da Startup para elaborarmos documentos que possam representar os objetivos do cliente.


Caso tenha alguma questão não respondida, nos acione por nossos canais de comunicação: moadv@outlook.com ou WhatsApp